in

Domenicali abre o jogo sobre recusa da Andretti na F1

Domenicali
Reprodução/F1

O CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali, insistiu que “o processo foi seguido” em relação à recente rejeição da oferta da equipe Andretti, algo que acabou surpreendendo o mundo da categoria mais famosa do mundo.

A oferta da Andretti Cadillac foi aprovada pela FIA em outubro passado, mas depois rejeitada na segunda etapa do processo pela F1, que emitiu um comunicado explicando sua posição no dia 31 de janeiro. O conteúdo dessa declaração foi posteriormente contestado pela Andretti e pela sua parceira General Motors.

No entanto, a F1 deixou a porta aberta para uma entrada apoiada em obras em 2028, altura em que a Cadillac pretende ter desenvolvido a sua própria unidade de potência. Isso implicaria que a nova equipa entrasse sob os auspícios de um novo Acordo de Concórdia, com condições potencialmente diferentes das actualmente em vigor.

A atual Concórdia inclui uma taxa de diluição de US$ 200 milhões – assim chamada porque se destina a compensar as equipes atuais por terem uma 11ª equipe com uma parte do bolo do fundo de prêmios – que é dividida igualmente entre os 10 participantes atuais. Posteriormente, com a série prosperando e os valores das equipes subindo, os participantes titulares questionaram o valor de US$ 200 milhões.

Aspas de Stefano Domenicali, CEO da F1

Com certeza é um ponto relacionado ao Acordo de Concórdia. É uma questão de trabalho conjunto que tem que ser feito entre a FIA e a FOM no que diz respeito aos diferentes tipos de avaliação que precisamos fazer.”

“Então acho que em relação ao que aconteceu [com Andretti Cadillac], acho que o processo foi seguido e apresentamos o resultado da maneira certa. Para o futuro é uma questão de discussão, claro, com as equipas, com a proposta comercial e técnica adequada que será discutida em conformidade, ainda este ano.”

Avatar

Escrito por Fabricio Carvalho

Comentários

Loading…

Lewis Hamilton, Fórmula 1

Hamilton admite que ainda há problemas antes da última temporada com a Mercedes

bmw wec

BMW tem confiança na resolução dos problemas para ser competitiva no WEC