in

Ecclestone se manifesta sobre processo movido por Felipe Massa: “Coisa certa a fazer”

Felipe Massa reforçou que irá buscar a correção da “injustiça histórica” do campeonato de 2008 nos tribunais

Felipe Massa, Fórmula 1
Divulgação/Ferrari

Felipe Mass segue na luta pelo reconhecimento do título da Fórmula 1 de 2008. O brasileiro ingressou com processos contra contra a Federação Internacional do Automobilismo (FIA) e Formula One Management (FOM) e outro contra o ex-presidente da categoria, Bernie Ecclestone. A ação movida pelo ex-piloto da Ferrari questiona o resultado do campeonato daquele ano, em especial, a não-anulação do GP de Singapura.

As ações de Felipe Massa foi oficializada na Superior Corte de Justiça de Londres. Nos processos, o brasileiro exige uma indenização que pode variar de 64 a 150 milhões de libras, cerca de R$ 400 milhões até R$ 960 milhões. Massa também pede que a FIA assuma ter violado os próprios regulamentos por não investigar a batida de Nelson Piquet Jr em Singapura. 

“Sempre disse que iria brigar até o final. Como a FIA e a FOM decidiram não fazer nada, buscaremos a correção desta injustiça histórica nos tribunais. O assunto agora está com os advogados e eles estão plenamente autorizados a fazer o que for necessário para que a justiça no esporte seja feita”, afirmou Massa por meio de sua assessoria de imprensa.

Em entrevista à agência inglesa Press Association, Bernie Ecclestone se manifestou sobre a atitude de Felipe Massa. O ex-chefão da Fórmula 1 defendeu o direito do brasileiro seguir buscando justiça por meio de processos legais.

“Se ele tivesse me perguntado, eu teria dito que era a coisa certa a fazer, processar e deixar um juiz inglês decidir o que é certo e o que é errado. Não posso dizer nada sobre o resultado do processo e o que ocorrerá. Não tenho ideia mesmo. Não acho que ninguém tenha. Minha opinião é que seja melhor que um juiz dê um veredito objetivo”, afirmou Ecclestone.

+ Ex-engenheiro de Felipe Massa fala sobre campeonato de 2008: “Todos tem direito à justiça”

Vale lembrar que a busca de Massa por justiça e pelo reconhecimento do título de 2008 começou após uma declaração do próprio Ecclestone. No começo de 2023, o britânico revelou que sabia que a batida de Nelsinho Piquet havia sido proposital desde  2008, o que possibilitaria uma revisão da corrida. Ecclestone justificou, no entanto, que a F1 e a FIA mantiveram silêncio sobre o caso para proteger esporte de um escândalo.

“Decidimos não fazer nada, queríamos proteger o esporte e salvá-lo de um escândalo. Havia uma regra que dizia que a posição de um campeão mundial era intocável após a cerimônia de premiação da FIA (Federação Internacional do Automobilismo). Assim, Hamilton recebeu a taça e tudo ficou bem. Mas tínhamos informações suficientes naquele momento para investigar o assunto. Segundo o regulamento, devíamos ter anulado a corrida em Singapura por essas condições”, revelou Ecclestone.

“Isso significa que não haveria repercussão à classificação do Mundial. Felipe Massa se tornaria campeão mundial, e não Lewis Hamilton. Hoje me solidarizo com Massa, sinto muito por ele. Afinal, ele ganhou a corrida em casa, em São Paulo, mas foi enganado e não levou o título que Merecia. Hoje eu teria feito as coisas de outra forma. Por isso para mim, Michael Schumacher segue sendo o único campeão mundial recordista, mesmo que as estatísticas digam o contrário”, acrescentou o ex-chefão da Fórmula 1.

Avatar

Escrito por Danielle Barbosa

Comentários

Loading…

Helmut Marko revela que estava considerando deixar Red Bull mesmo antes de caso Horner

Vasseur, Ferrari chefe

Vasseur admite distância, mas vê Ferrari pronta para desafiar a Red Bull