in

Felipe Drugovich compara idolatria de Ayrton Senna a Max Verstappen 

Felipe Drugovich falou sobre Ayrton Senna e Max Verstappen, em texto publicado no site da Fórmula 1
Felipe Drugovich falou sobre Ayrton Senna e Max Verstappen, em texto publicado no site da Fórmula 1 - foto: divulgação/Aston Martin

Com o fim da temporada 2023, a Fórmula 1 abriu espaço para que os pilotos se comunicassem diretamente com os fãs de automobilismo. Neste domingo (3), a categoria publicou um artigo escrito pelo brasileiro Felipe Drugovich. 

No texto, o piloto reserva da Aston Martin contou que a paixão por corridas teve influência da família. O competidor nascido em Maringá relatou que tudo começou aos oito anos de idade, quando ele entrou num kart pela primeira vez 

Drugo viveu no Brasil até os 13 anos, antes de iniciar uma vida internacional, mas sempre voltou do país de origem. “Por isso me sinto um brasileiro”, declarou. 

Felipe Drugovich avaliou que é difícil explicar de onde vem a paixão brasileira pelo automobilismo. Ele acredita que o número de fãs cresceu por causa de Ayrton Senna. 

“O país ficou apaixonado pelo esporte e às pessoas continuaram vendo corridas a todo instante”, acrescentou. 

O brazuca também disse que não viu Ayrton Senna competir na Fórmula 1, mas assistiu a documentários e ouviu histórias contadas por Martin Whitmarsh, empresário britânico que trabalhou com o ídolo nacional, nos tempos de McLaren. 

Além disso, comparou a idolatria do compatriota com a de hoje vivida por Max Verstappen. “Ayrton Senna representa, para o Brasil, algo parecido com o que Verstappen é na Holanda”, avaliou.  

“Naturalmente, as novas gerações não conhecem muito Senna, mas ele era um herói nacional como Pelé. Eles são os maiores no Brasil”, prosseguiu. 

Felipe Drugovich citou a personalidade e o alto nível de concentração de Ayrton Senna. “Ele estava sempre muito focado em fazer o melhor nas pistas. Tinha algo que era impossível confundi-lo com outra pessoa”, observou. 

“A forma como ele tratava os fãs também era muito legal. Por isso acredito que ele é muito respeitado”, disse.  

Felipe Drugovich encerrou dizendo o que conversaria com Ayrton Senna se o ídolo nacional estivesse vivo. “Eu perguntaria como era dirigir os carros antigos. Meu objetivo principal é seguir seus passes. Isso seria o máximo”, concluiu. 

Felipe Drugovich escreve texto para a Fórmula 1

Avatar

Escrito por Octávio Almeida Jr

Jornalista formado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 29 anos. Repórter de campo pela Rádio Unama FM e do site NasPistas.com.

Comentários

Loading…

Ferrari

Ferrari: Vasseur faz balanço positivo e alega que “expectativas eram altas demais” para 2023

Mick Schumacher

Mick Schumacher quer utilizar experiência da Mercedes na Alpine em 2024