in

Max Verstappen aponta ‘dificuldade’ para participação de mulheres na Fórmula 1

Holandês pautou a razão pela qual a F1 não tem piloto mulher no grid, destacando a menor quantidade de nomes e o talento feminino sujeito às questões físicas

Max Verstappen Fórmula 1
Divulgação / Oracle Red Bull Racing via X/Twitter

Max Verstappen, atual campeão mundial da Fórmula 1, comentou sobre a ausência de mulheres no quadro de pilotos da categoria.

Ultimamente, a falta de piloto mulher tem sido uma pauta recorrente. Na análise do holandês, para homem já é difícil ingressar na F1, mas para a mulher, o grau de dificuldade é “naturalmente” muito maior.

Max Verstappen avalia as chances das mulheres na Fórmula 1

“Acho que se você olhar para a porcentagem de homens e mulheres nas corridas, acho que já para os homens o potencial é, claro, muito baixo para entrar na Fórmula 1. Então naturalmente para as mulheres é ainda mais difícil”, disse Verstappen sobre a dificuldade de uma mulher ingressar na F1, segundo o portal Speedcafe.

Tricampeão mundial da Fórmula 1 com a Red Bull Racing, Verstappen acrescenta ainda as dificuldades físicas para dirigir em certos circuitos na categoria. Portanto, o piloto enfatizou que, para uma mulher, esse fator pode ser muito mais difícil em relação a um homem.

“Acho que pilotar fisicamente a F1, em alguns lugares, é bastante difícil. Mas acho que é tudo treinável se você trabalhar duro para isso, mas é naturalmente um pouco mais difícil para uma mulher”, comparou o holandês.

No entanto, o piloto da RBR enfatizou que, além dos treinos, o talento pode se sobressair em relação a essas dificuldades que podem ser um empecilho para as mulheres na F1.

“Mas se você tem talento suficiente, é claro, é possível porque não acho que os chefes de equipe sejam pessoas que tomam decisões para escolher seus pilotos e olhem para isso como ‘Oh, não, nós só vamos para homens'”, justificou o atual campeão.

“Se há uma mulher que está batendo em todos os outros, então, naturalmente, ela terá a oportunidade de chegar à Fórmula 1. Mas é que há menos mulheres no esporte e, naturalmente, a porcentagem para chegar ao topo é menor”, conclui Max Verstappen.

Fórmula 1 tenta a inclusão de mulheres nas pistas

Tema da análise de Max Verstappen, a presença da mulher na F1 se tornou uma bandeira na categoria. Nos últimos anos, o automobilismo não tem medido esforços para atrair mulheres para diferentes modalidades. Um exemplo disso, são as iniciativas como Girls on Track e W Series.

Além disso, a Fórmula 1 administrou uma categoria exclusivamente para mulheres em 2023, a F4. E a expectativa é que mais equipes aderem o projeto a partir de 2024.

Ademais, a F1 Academy, em conjunto com outras iniciativas, tem procurado abordar a inclusão feminina em diversas esferas do esporte. E como resultado desses esforços, Tina Haumann (Aston Martin), Abbi Pulling (Alpine), Bianca Bustamante (McLaren) e Lia Block (Williams) se beneficiarão deste apoio neste ano.

Diante desse cenário, espera-se que, com o aumento das taxas de participação, as chances de uma mulher se tornar piloto de F1 aumentem proporcionalmente ao longo dos anos.

Avatar

Escrito por Luciano Ferreira

Comentários

Loading…

Andrea Stella McLaren

Stella revela quando foi a ‘virada de chave’ da McLaren em 2023

Fia Fórmula 1 Verstappen Hamilton Alonso

Ex-Fórmula 1 afirma que “com o carro certo” Alonso e Hamilton podem desafiar Verstappen