in

Carros da Fórmula 1 ficaram mais rápidos em 2023; entenda por quê

Fabricante Brembo, líder especializado em sistemas de travagem de alto desempenho, teve impacto na temporada; leia mais

Divulgação / Fórmula 1

A campanha 2023 foi uma das mais longas da Fórmula 1 e apresentou uma grande variedade de pistas; mas acima de tudo houve um salto em termos de desempenho dos carros. Um elemento fundamental que permitiu esse ganho foram os freios. A última temporada foi a 49ª do envolvimento da Brembo na categoria. Os carros equipados com freios Brembo venceram 28 Campeonatos Mundiais de Pilotos, 33 Campeonatos Mundiais de Construtores e um total de 507 corridas de Grande Prêmio.

Como explica o jornalista Paolo Filisetti, um dos diferenciais dos equipamentos fornecidos pela empresa é a customização dos novos sistemas de freios para cada equipe, fornecendo a maioria dos monolugares com componentes hidráulicos. Por isso, nas últimas duas décadas a Brembo revolucionou o conceito de disco na Fórmula 1.

De fato, no início dos anos 2000, os discos de carbono Brembo tinham uma espessura de 28 mm com um máximo de 72 furos numa única fila e um diâmetro que ultrapassava os 10 mm. Hoje, o diâmetro aumentou de 278 mm para 328 mm para o disco de carbono do eixo dianteiro e de 266 mm para 280 mm para o traseiro, com espessura de 32 mm e número de furos entre 1.000 e 1.100 na frente, enquanto 900 furos na traseira nas condições de trabalho mais extremas em termos de refrigeração.

Mas, além disso, a Brembo tem se concentrado também na constante redução de peso dos sistemas de travagem. Na última temporada, o peso de um sistema de travagem foi cerca de 300/350g mais leve em comparação com 2022, quando era mais pesado do que 2021 para se adequar às novas exigências dos carros com efeito solo. Para atingir esse objetivo, os engenheiros da Brembo trabalharam para otimizar o design dos diferentes componentes, primeiro nas pinças e nas peças de carbono, ao mesmo tempo que levaram todas as geometrias destes elementos ao extremo.

A redução de peso desempenha um papel relevante na melhoria do desempenho. Pois permite colocar mais lastro nos carros em posição estratégica, de modo a baixar o centro de gravidade dos carros, melhorando o comportamento e melhorando globalmente o equilíbrio do monolugar. Na temporada passada o binário de travagem exigido por cada automóvel excedeu o exigido em 2022 em mais de cinco por cento. Em 2023, a Brembo forneceu pinças para todas as 10 equipes. Em particular, nove foram fornecidos com pinças Brembo, enquanto uma equipe recebeu pinças da AP Racing, a conhecida empresa com sede em Coventry.

Isso significa que todos os monolugares do grid da Fórmula 1 em 2023 foram equipados com pinças recém-projetadas e fabricadas, banhadas a níquel e usinadas a partir de tarugos de seis pistões. Cinco equipes também adotaram os sistemas by wire desenvolvidos tanto pela Brembo quanto pela AP Racing para gerenciar a frenagem traseira, equilibrando a demanda de torque de frenagem entre os eixos dianteiro e traseiro, alterando a contribuição da frenagem dissipativa em função da fase regenerativa. Tudo isso garantiu o equilíbrio certo entre os eixos dianteiro e traseiro.

Arthur Santos Eustachio

Escrito por Arthur Santos Eustachio

Meu nome é Arthur Santos Eustachio. Sou formado em Jornalismo pela Cásper Líbero.

Atuo como produtor de conteúdo para sites e mídias digitais. Escrevo notícias sobre esportes em geral - hoje principalmente na área de automobilismo: Fórmula 1, MotoGP e Nascar. Já trabalhei na 365Scores e como administrador de páginas esportivas.

Meus esportes favoritos são futebol, tênis, basquete e Fórmula 1. Minhas maiores referências são Cristiano Ronaldo, Novak Djokovic e Max Verstappen.

No mais, curto ler, ouvir música, assistir filmes e, claro, praticar esportes.

Comentários

Loading…

Daniel Ricciardo substituiu Nyck de Vries, na Fórmula 1

Daniel Ricciardo crê em novas vitórias na Fórmula 1: “Tenho potencial” 

Ferrari

Ferrari volta a discutir polêmica ocorrida no GP de Las Vegas