in

F1 hoje: Vasseur “protege” Charles Leclerc após fim de semana ruim em Silverstone

Chefe da Ferrari acredita que erros por parte da equipe também têm contribuído para a má fase do monegasco

Charles Leclerc, Ferrari
x.com/@ScuderiaFerrari

O chefe da Ferrari, Frederic Vasseur, afirma que os recentes erros de Charles Leclerc na Fórmula 1 derivaram da tentativa de compensar a queda na competitividade da equipe.

Leclerc foi apontado como um potencial desafiante ao título quando encerrou sua corrida em casa com uma vitória em Mônaco, que o deixou 31 pontos atrás de Max Verstappen. No entanto, a Ferrari não conseguiu sustentar esse impulso desde então, já que as atualizações aceleradas na Espanha introduziram saltos não intencionais nas curvas de alta velocidade.

A queda da marca italiana também coincidiu com a queda da temporada de Leclerc, que alcançou apenas ​​12 pontos nas últimas quatro rodadas desde Monte Carlo. O monegasco lamentou o excesso de pilotagem no Q3 na Áustria, pois se classificou fora de posição em relação ao seu ritmo e sofreu danos nas asas na primeira volta.

Problemas de Charles Leclerc em Silverstone

A fase ruim continuou em Silverstone, com uma reversão no meio do fim de semana para o SF-24 pré-Barcelona levando à saída do Q2. Depois disso, uma aposta inoportuna no intermediário saiu pela culatra. Mas Vasseur insistiu que a Ferrari deve ter alguma culpa pela regressão no desempenho, que levou a mais erros na condução de Leclerc.

“Primeiro temos que evitar tentar tirar uma conclusão genérica sobre o que aconteceu. Precisamos olhar profundamente para tudo. Acho que o carro, nas duas últimas corridas, pelo menos não foi fácil de pilotar. Ele estava pedindo muito aos pilotos, principalmente por ontem, que Charles tivesse um pacote novo na sexta”, disse.

“Ele tem que pular para dentro do carro. Não fizemos o TL3 com piso molhado e ele teve que ir para a classificação com um carro que não dirigia antes. Ele estava em muito boa forma até a curva 13. Não sei se conversamos sobre isso ontem, que ele foi mais rápido que [George] Russell até a curva 13″.

“Mas, com certeza, acho que estávamos realmente no limite do carro, e o carro não foi fácil de pilotar nestas condições, que talvez estejamos cometendo mais erros do que quando está sob controle. E é verdade que assim que você tem uma espécie de momento ruim, ou vamos chamar assim, você tem a sensação de que precisa compensar. Isso é um erro da equipe, dos pilotos, de todos, porque não dá para compensar. Portanto, você tem que estar no limite. Isso significa que se algo está indo um pouco menos bem, você não pode fazer mais do que fazia antes”, concluiu Vasseur.

Arthur Santos Eustachio

Escrito por Arthur Santos Eustachio

Meu nome é Arthur Santos Eustachio. Sou formado em Jornalismo pela Cásper Líbero.

Atuo como produtor de conteúdo para sites e mídias digitais. Escrevo notícias sobre esportes em geral - hoje principalmente na área de automobilismo: Fórmula 1, MotoGP e Nascar. Já trabalhei na 365Scores e como administrador de páginas esportivas.

Meus esportes favoritos são futebol, tênis, basquete e Fórmula 1. Minhas maiores referências são Cristiano Ronaldo, Novak Djokovic e Max Verstappen.

No mais, curto ler, ouvir música, assistir filmes e, claro, praticar esportes.

Comentários

Loading…

Toprak

MotoGP hoje: Toprak pode se tornar alvo da Yamaha para 2025

Carlos Sainz, piloto da equipe de Fórmula 1 da Ferrari

Fórmula 1 hoje: Carlos Sainz reclama de atualização removida do carro da Ferrari