in

Toto Wolff se desculpa por criticar a Mercedes: “Foi meu maior erro nos últimos anos”

Chefe da equipe alemã também admitiu ter cometido erros cruciais nas últimas temporadas

Toto Wolff, chefe da Mercedes
Toto Wolff, chefe da Mercedes (Divulgação / Mercedes-AMG PETRONAS Twitter)

A Mercedes está longe dos seus melhores momentos na Fórmula 1. Dessa forma, mesmo ficando com o segundo lugar no Campeonato Mundial de Construtores, a equipe não conquistou nenhuma vitória em 2023. Agora, Toto Wolff, chefe do time alemão, afirmou que tomou algumas escolhas erradas nas duas últimas temporadas.

Curiosamente, após conquistar o oitavo título consecutivo de construtores em 2021, a Mercedes teve que lidar com a Red Bull dominando a categoria e conquistando os prêmios em 2022 e 2023. Além disso, vale lembrar que a última vitória dos alemães foi em 2022, no Grande Prêmio do Brasil.

Para Wolff, as suas escolhas em 2022 foram as piores de sua carreira. Ele, inclusive, confirmou que persistir no carro do ano passado em 2023 foi um outro grande erro.

“Foi meu maior erro nos últimos anos. Tomamos a decisão errada quanto ao projeto do carro de 2022. O fato de termos continuado com ele em 2023 foi o segundo grande erro. Eu mantive esses erros porque vencemos no Brasil. Todo mundo se apega ao conceito depois de um fim de semana como aquele”, comentou o chefe da Mercedes.

Toto Wolff: “Algumas vezes fui muito duro”

Apesar da decisão ser de Toto Wolff, mais da metade da equipe estava convencida de que essa era a melhor abordagem para alcançar o sucesso. Contudo, como sabemos, isso não se provou verdadeiro. Assim, nesse ano, a equipe teve um desempenho abaixo das expectativas, o que levou o austríaco a criticar ferozmente o time. Mas agora, Wolff pediu desculpas abertamente por suas declarações duras.

“Criticar a equipe na mídia é um equilíbrio delicado que nem sempre consegui manter perfeito. Acredito que muitos membros da equipe permanecem motivados pela ambição de seu líder, mas às vezes eu fui longe demais. Então, antes de uma entrevista, preciso tomar chá de camomila para relaxar. Algumas vezes fui muito duro, por isso peço desculpas à fábrica. Isso também faz parte da liderança, mas não deve ser feito com muita frequência”, finalizou o chefe.

Por fim, vale observar que a Mercedes espera ter um 2024 completamente diferente. Dessa forma, os alemães contam com um “novo” diretor técnico, já que James Allison foi reintegrado ao cargo. Antes, Allison era o CTO e estava ocupado com outros assuntos. Para quem não sabe, Mike Elliott foi responsável pelo W13 e W14 como diretor técnico e acabou deixando a Mercedes.

Comentários

Loading…

Vasseur, Ferrari chefe

Vasseur mantém confiança sobre parceria entre Red Bull e AlphaTauri

Foto de Alex Albon para representar o piloto da Williams que apontou o diferencial do holandês Max Verstappen para 'dominar' a Fórmula 1

Albon aponta momento de maior falha na temporada 2023 da Fórmula 1